2.20.2006

Trem das Cores no dial

A franja da encosta, cor de laranja capim rosa-chá / O mel desses olhos luz /Mel de cor ímpar/ O ouro ainda não bem verde da serra / A prata do trem / A lua e a estrela / Anel de turquesa Os atomos todos dançam / Madruga, reluz neblina / Crianças cor de romã entram no vagão / E o oliva da nuvem chumbo ficando pra trás da manhã / E a seda azul do papel que envolve a maçã /As casas tão verde e rosa / Que vão passando ao nos ver passar / Os dois lados da janela / E aquela num tom de azul quase inexistente / Azul que não há / Azul que é pura memória de algum lugar / Teu cabelo preto, explícito objeto / Castanhos lábios / Ou pra ser exato lábios cor de açaí / E assim trem das cores / Sábios projetos tocar na central / E o céu de um azul celeste, celestial...
caetano

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Lindo lindo lindo!
Vc é demais!
beijos da sua amiga de Barney! kkkk

10:40 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home