4.07.2006

Bilhete de saudade

Às vezes me vem, sem aviso, um misto de saudade e calor, ausência e desejo, tristeza e vontade. É quando busco um abraço que não existe. É quando esqueço o que se passou e dou um grito mudo com teu nome. É quando não quero mais acordar amanhã. É quando não choro, pois é tão grande o desatino que não estou aqui, apenas sinto a dor de não sentir você. É quando luto com a necessidade de ir, partir. É quando respiro e dou o suspiro mais profundo — muito mais fundo que o fundo dos olhos, que o peito, que o mundo, pra tentar acalmar o que é puro neste sentimento. É quando minto em vão.

2 Comments:

Anonymous Lívia said...

Mulher!!! Você por acaso está dentro de mim??? Rs.
Máximo do máximo!!! Valeu a pena entrar agora a noite. Depois da conversa coma amigas...
Saudade é meu sentimento mais incontrolável... Mais que a raiva.
Beijo

1:21 da manhã  
Anonymous Clarissa said...

Chaffin tá dentro de Livinha!!! Pqp!!! Caraioooo! E agora?
Palavras bonitas, hein Livinha?! Profundo! Mas que vc não queira acordar amanhã, tudo bem, mas acorde e muito bem humorada na quarta, que vc vai vir pra cá e de quinta a domingo (tipo peça de teatro), que vc vai estar aqui!!!!
Expectativa total, vcs imaginam, né?? rsrsrsrs..
Beijo

10:18 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home