5.16.2006

Meio soul, meio Blues

- Eu nunca fui a Moscou...disse e foi caminhando em direção a porta, descartando parte do mapa que traçava os lugares já visitados...

- E você não me faz tão bem quanto você pensa...

Ele não disse nada. Olhar fixo para a paisagem. Lembrou do passado, quando sua grande preocupação era estudar para a prova de geometria, escolher o próximo livro e amassar a banana junto com a aveia...

Quando decidiu que não teria mais insônias? Já não lembra. Apenas obedeceu ao instinto, criou músculos, voltou a beber e a sonhar. Naquela manhã que decidiu sair de casa e cair no mundo, não pensou em destino. A companhia veio quase como consequência da liberdade. É que vez-em-quando precisamos deixar de ter tanto cuidado com oq amamos.. Deixar partir?

2 Comments:

Anonymous Clarissa said...

Acredito que o excesso de cuidado realmente atrapalha... Partir às vezes é preciso, é necessário. O problema, muitas vezes, é saber a hora e como partir. Mas temos que acreditar que apesar de haver um destino, o rumo pra chegar até ele é a gente quem faz. Então, vamos atrás! Aliás, na frente, né...

2:31 da tarde  
Anonymous Lívia said...

Cuidar, saber, partir, decidir... Quando que eu vou aprender a viver????

9:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home